[38] 3229.2000

CURSO DE CAPELANIA HOSPITALAR DA SANTA CASA CAPACITA VOLUNTÁRIOS PARA ACOLHIMENTO DE PACIENTES

Projeto vai personalizar e humanizar ainda mais o atendimento com apoio do voluntariado

A doença fragiliza até o mais duro dos seres humanos e coloca a todos diante das verdades essenciais. A debilidade do corpo físico faz com que muitas pacientes e seus familiares busquem amparo e conforto espiritual. A Santa Casa, além de ser referência por seu corpo técnico e toda sua tecnologia, não é apenas um local de tratar pessoas, mas de cuidar de pessoas. Para estender o trabalho de humanização aos mais diversos setores, foi anunciada, nesta terça-feira (5), a ampliação do serviço de Capelania já existente no hospital.


O evento contou com a presença do Arcebispo de Montes Claros, Dom José Alberto Moura que ressaltou que a Santa Casa tem uma santa causa. “Qual é o trabalho, qual é a missão? Nós somos chamados a seguir o nosso Senhor e vocês foram chamados a realizar o que Deus nos pede”, ressalta. “Com a Capelania aqui do Hospital, que nasceu com a ação de muitos dessa Igreja, temos um grande serviço a prestar aos doentes. O segredo da transformação social, humana e cristã está com o povo. Convido vocês para virem nos ajudar nessa causa”, conclama o arcebispo. A diretoria, provedoria e superintendência também prestigiaram a solenidade que teve ainda a presença de religiosos, colaboradores e dezenas de voluntários.


A coordenadora da Capelania e Humanização da Santa Casa, Carmem Lúcia Costa, considera o encargo um chamado. “Deus já tinha um projeto para nós e fomos escolhidos para essa missão de exercer o trabalho de capelania. Ela explica que, uma vez por semana, serão realizadas reuniões de pelo menos quatro horas para capacitação dos voluntários quanto à atuação numa entidade hospitalar. Além dela, são seis padres na equipe de coordenação. Rosemare Carneiro Soares Fialho Sena é da pastoral da Saúde e há dez anos atua como voluntária na Santa Casa. “Estávamos precisando de material humano para realizar esse trabalho, o doente precisa realmente dessa atenção”, diz.


O Monsenhor Antônio Alencar, capelão da Santa Casa, percebeu que a vontade de ajudar das pessoas é grande ao reunir mais de cento e quarenta pessoas das mais diversas áreas da cidade no lançamento do projeto. “Diante de tantos apelos, desafios e limitações, temos o propósito de levar a instituição em toda sua grandeza através das paróquias.


O serviço de Capelania é garantido constitucionalmente e regulado pela Lei 6923 art. 5 e inciso VII, caracterizando-se pela assistência religiosa e social prestada em entidades de acolhimento coletivo como hospitais, presídios e quartéis. “Há uma necessidade dessa formação, desse treinamento, o interesse nosso é acertar para que possamos levar energia para cada um de nossos irmãos”, diz o Monsenhor.


O Provedor da Santa Casa, Heli de Oliveira Penido, lembra que nesses 143 anos de vida do Hospital, passaram muitos e verdadeiros heróis que tiveram importância na condução da instituição que é do bem, do bom e do justo. “Esta turma quer que a Santa Casa seja o que deve ser com o sentido humano em todas as direções”, ressalta. Ele argumenta que um novo tempo se inicia com a participação ativa de todo o grupo de pessoas que entenderam o espírito de santidade necessário à superação de grandes desafios. “Ficamos reconfortados com tanta contribuição nesse trabalho de levar paz, amparo e apoio às pessoas em situações dramáticas e dolorosas”.


O superintendente do Hospital, Maurício Sérgio Sousa e Silva, que assumiu o posto há sete meses, ressaltou que as mudanças são necessárias no sentido de melhorar a qualidade com o reforço ao processo de humanização. “Na porta de entrada são atendidas mais de mil pessoas por dia. Queremos a proximidade dos nossos colaboradores com a administração, eles estão de fato abraçando a cada um de vocês que vão nos ensinar e nos ajudar”.


A irmã Rosa, que era contratada como técnica de enfermagem foi surpreendida pelo superintendente com a atribuição de enfermeira responsável à disposição da Capelania. “Agradeço primeiramente a Deus e estou à disposição para empenhar esse papel. Vim para servir e aqui estou”, disse.


O curso de capacitação do projeto de Capelania começou essa semana e tem a duração de quatro meses. Serão ministrados módulos de treinamento com temas sobre espiritualidade, humanização nos serviços de saúde, liturgia, bioética católica, psicologia da saúde, antropologia e outros assuntos.

 






Voltar