[38] 3229.2000

SANTA CASA REALIZA ENTRONIZAÇÃO DE IMAGENS DE SANTOS

Visando resgatar o valor da Santa Casa como instituição católica, que respeita a liberdade de crença e acolhe a todos, sem distinção, buscando sempre o restabelecimento da saúde, o bem-estar e a dignidade do ser humano, realiza, dentro do Projeto Capelania Hospitalar, a entronização de imagens de santos protetores, como patronos de cada ala hospitalar.

 
Dentre os vários projetos desenvolvidos pela Santa Casa, para humanizar o acolhimento e a assistência prestada aos pacientes da região, destaca-se a Capelania Hospitalar – Acolher com Amor – que tem como objetivo principal resgatar a espiritualidade da Santa Casa, visando beneficiar os pacientes em seus sentimentos e necessidades, levando ao próximo a mensagem bíblica de esperança e consolo.
 
De acordo com o Capelão da Santa Casa, Monsenhor Antônio Alencar Monteiro, o hospital foi dividido em setores e cada paróquia da cidade enviou imagens de santos para entronização em cada ala, como forma de pedir a proteção e a intercessão para que Deus abençoe a instituição, os colaboradores, pacientes e familiares. Assim, cada paróquia e seus fiéis se tornam responsáveis pela visitação e trabalho com os pacientes internados.
 
“A entronização das imagens de santos representa a renovação do espírito de fé junto à comunidade hospitalar, pois a fé contribui para a recuperação da saúde dos pacientes que se encontram internados, precisando de conforto e amparo espiritual para aliviar suas dores e sofrimentos”, explica.
 
Trabalho voluntário
 
Para a enfermeira e voluntária da Capelania Hospitalar, Irmã Maria Rosa Andrade Xavier, o trabalho de capelania na área de saúde é uma intervenção de grande responsabilidade, visto que se trata de uma abordagem delicada, num momento de vida em que o ser humano se apresenta com grande fragilidade, atuando com a família na tentativa de animar e consolar nos momentos difíceis.
 
“Para que o projeto se concretize, foram preparados, desde agosto, cristãos de boa vontade, inseridos nas pastorais das paróquias, que irão desenvolver o trabalho como voluntários, dentro das normas estabelecidas pelo hospital”, afirma.
 
Ela explica ainda que os voluntários irão visitar diariamente os pacientes enfermos, escutando, fazendo orações, leituras bíblicas, orientando e aconselhando com sabedoria e humildade, sabendo que ninguém é melhor que ninguém, usando linguagem simples e forma de abordagem para cada pessoa, doando tempo e atenção ao paciente visitado.
 
“O voluntário precisa ter uma personalidade amável, agradável e cativante, com habilidade de se comunicar, com humor estável, respeito às opiniões religiosas divergentes, discernimento e sensibilidade nas conversas e saber guardar as confidências dos pacientes”.





Voltar