De uma família simples e de espírito empreendedor, José Gilson Veloso Caldeira, herdou o anseio por inovação e dedicação ao próximo. Filho de um casal humilde de empresários, o mineiro nascido em 28 de julho de 1947 carrega uma história de vida digna de respeito e orgulho.

Gilson Caldeira como é conhecido leva no rosto um sorriso sereno e sincero que demonstra a timidez que nunca o prendeu para voar. Em sua trajetória viajou por lugares, mas o coração retornou para o sertão mineiro, onde fincou suas raízes, construiu sua família e os seus sonhos.

Casado há 46 anos, pai de seis filhos e avô de treze netos; o atual Provedor da Santa Casa de Montes Claros é reconhecido por dedicar seu tempo e energia para se certificar de que as suas metas sejam sempre cumpridas e as necessidades das outras pessoas atendidas. Em seu caminhar a dedicação é a sua grande marca.

Com coração robusto, simplicidade e coragem, traçou a sua trajetória desde ainda muito jovem, em busca do desenvolvimento sempre baseado em princípios éticos e valores morais se emociona ao recordar como tudo começou.

“Eu comecei a trabalhar muito cedo aos 15 anos em Montes Claros. Aos 19 anos comecei a trabalhar na parte financeira na sede do Banco Bandeirantes, em Belo Horizonte e em seguida mudamos para São Paulo. Após uns dois anos, estava lendo a Revista Placar e descobri que um empresário ganhava dinheiro com indústria de britagem e eu me lembrei que nós tínhamos um terreno que tinha muito calcário em Montes Claros. Então, eu pedi licença do banco e voltei para Montes Claros”, recorda.

Com uma visão empreendedora e competência incomparável, herdou dos paiso feeling empreendedor e viu essa sua versão se aflorar ainda muito novo. Ele pediu demissão do banco e iniciou os passos como dono do próprio negócio.“Pensando na minha família, me preocupei em expandir os negócios e trabalhar também em outros ramos. Investiem concessionária de motocicletas, em uma rede de distribuição de combustível e outras empresas”, destaca.

No percurso até o caminho da Provedoria da Santa Casa de Montes Claros, o gestor sempre demonstrou perfil provedor, generosa e sabiamente fornecendo aos outros sempre as melhores condições para alcançarem seus objetivos, tanto em sentido material quanto no sentido moral.

“Essa experiência de vida e empresarial de 50 anos certamente me ajuda a contribuir para gestão hoje da Santa Casa de Montes Claros. Junto com o superintendente, Maurício Sérgio, diretores e demais colaboradores e membros do corpo clínico vamos descobrir mais caminhos para que a Instituição cresça cada vez mais. Juntos iremos trabalhar para trazer ainda mais qualidade e humanização para a saúde norte-mineira”, afirma.